Artigos

Porque é bom que os filhos ajudem em casa?

Participação nas tarefas de casa incentiva autonomia, responsabilidade e autoestima dos filhos

28
Dez

Envolver as crianças nos afazeres diários e fazer com que sejam colaborativos e responsáveis por algumas atividades não é tarefa fácil mas, com um pouco de criatividade e paciência, você incentiva positivamente a autonomia e a autoestima do seu filho.

Para isso é importante estar atento aos potenciais e usar a sua sensibilidade para perceber a capacidade de seus filhos em esforçar-se por contribuir com a dinâmica familiar, executando pequenas tarefas cotidianas e, mais do que isso, estimular o desenvolvimento do senso de responsabilidade deles que irá se formar por volta dos sete aos onze anos.

Por isso o bom é começar cedo! Ainda que seja necessário auxiliar os filhos pequenos a concluir a maior parte das atividades, desafiá-los a tentarem se vestir sozinhos, guardar seus brinquedos, arrumarem suas camas, ajudar a guardar as compras que chegaram do mercado ou lavar as frutas, pode ser uma verdadeira diversão!

Cantarolar enquanto faz uma atividade, usar rimas e solicitar a tarefa com alegria favorece o engajamento da criança e deixa tudo mais gostoso.

Veja algumas dicas de como incentivar seu filho a ajudar em casa e como isso por ajudá-lo a ser um adulto responsável, neste trecho adaptado do livro de Teresa Artola González, :

Filhos responsáveis: Como atuar?

Os encargos ou responsabilidades familiares

É comum que em muitos lares os pais, e com freqüência apenas a mãe, carreguem sobre seus ombros todos os trabalhos:
- As tarefas domésticas;
- A sustentação do lar;
- O cuidado da roupa de cada um;
- As gestões relacionadas com seus estudos: matrículas, uniformes, livros...

Entretanto, os pequenos encargos ou responsabilidades constituem uma forma maravilhosa de educar a responsabilidade.

Além disso, contribuem para que todo o trabalho não recaia sempre nas mesmas pessoas.

Ter um encargo concreto aos 4 ou 5 anos torna possível que aos 15 ou 16 anos seja natural “o colaborar” no lar. Pelo contrário, se esperar que seu filho fique maior para exigir-lhe responsabilidade, isso se torna mais difícil.

OS FILHOS PODEM COLABORAR
NO BOM ANDAMENTO DO LAR

Do mesmo modo que desde muito pequeno acostumamos nossos filhos a que comam e se vistam sozinhos, devemos acostumar-lhe a ir fazendo por si próprios o que, razoavelmente, e de acordo com sua idade, são capazes de fazer.

Nunca é muito cedo para ensinar ao filho a ser responsável. Nos primeiros anos de vida pode fazê-lo como um jogo. Enquanto seu bebê começa a engatinhar pode estimular–lhe para que recolha seus brinquedos.

Desde que seu filho tem 2 ou 3 anos pode assumir pequenas responsabilidades:
- Ajudar colocar a mesa;
- Tirar os guardanapos;
- Regar as plantas;
- Ajudar mamãe a arrumar as camas nos dias que não há colégio;
- Preparar sua roupa para o dia seguinte;
- Apagar as luzes;
- Recolher seus objetos pessoais...

Entre os 4 – 7 anos pode assumir responsabilidades maiores como, por exemplo:
- Atender o telefone;
- Tomar banho e vestir-se sozinho;
- Cuidar de algum animal;
- Tirar o lixo;
- Varrer o chão;
- Passar o aspirador;
- Limpar seus sapatos...

Pouco a pouco, a criança terá que ir aprendendo a deixar de fazer a tarefa como uma brincadeira (porque é divertido), a fazê-la ainda que nesse momento não lhe resulte apetecível.

Se a criança observa que seus pais e irmãos maiores realizam estas tarefas de forma regular compreenderá que há certas tarefas necessárias que deve fazer.

Para que uma tarefa desenvolva a responsabilidade, a criança deve ser consciente de que tem que responder ante alguém pelos trabalhos realizados. Os pais deverão, portanto, avaliar periodicamente seu cumprimento.

É importante que seu filho entenda bem em que consiste a sua tarefa em específico, para que possa cumpri-la. Além disso, deve entender o propósito da tarefa, isto é, por que é importante que o faça.

Na hora de distribuir as tarefas convém respeitar a predisposição de seu filho: tanto no que diz respeito à tarefa escolhida, quanto à forma de cumprí-la. Se se pode escolher livremente estará exercitando sua responsabilidade. Deve-se procurar que cada filho tenha uma tarefa que seja possível de ser cumprida e que se possa cumprir bem. Desta forma poderão experimentar a satisfação do trabalho bem feito e verá reforçado seu próprio sentimento de autoestima.

Para isso é importante que os pais recompensem periodicamente o comportamento responsável, já que é difícil que seu filho aumente sua capacidade para ser responsável se não consegue nenhuma recompensa ou elogio por seu comportamento. Pelo contrário se continuamente se lhe critica, ridiculariza ou tacha de irresponsável, seu filho acabará acreditando que o é e comportando-se como tal.

ELOGIE SEU FILHO
QUANDO SE COMPORTA
DE FORMA RESPONSÁVEL

A medida que vão crescendo, os pais devem procurar que a motivação para que os filhos cumpram com suas responsabilidades provenha deles mesmos. Para isso deveremos conversar muito com os filhos e fomentar sua  capacidade de reflexão.

Devemos ajudar-lhes a considerar as coisas e argumentar examinando as razões ou motivos que aconselham atuar de um modo ou outro; a prever as conseqüências de suas decisões livre e a atuar em conseqüência disso.

Assim, se desde pequenos se acostumam a assumir responsabilidades, quando se adquirem independência de nós estarão preparados para fazer-se cargo de sua própria vida.


Fonte: Livro “Como resolver situações cotidianas de seus filhos de 6 a 12 anos”

TERESA ARTOLA GONZÁLEZ é doutora em Psicologia pela Universidade Complutense de Madri e Master em Educação Familiar pelo E.I.E.S (Educational Institute of Educational Sciences). Desenvolve um amplo trabalho de pesquisa e docente no campo da Psicologia Infantil e é professora da Escola Universitária Europea da Educação de Fomento de centros de Ensino. É autora de diversas publicações em sua maior parte dedicadas aos problemas de aprendizagem, sua avaliação e tratamento. 

Publicado em Portal da Família (http://www.portaldafamilia.org)

 

   
  Compartilhar no WhatsApp